Ensaio imunossorvente ligado a enzima

Confirmação real de amostras potencialmente mortais

O ELISA é uma técnica bioquímica usada para detectar a presença de um anticorpo ou um antígeno em uma amostra. Simplificando, um antígeno é afixado à superfície e em seguida um anticorpo específico é aplicado sobre a superfície a fim de que possa ligar-se ao antígeno. Este anticorpo é ligado a uma enzima, e na etapa final uma substância é adicionada para que a enzima possa converter em algum sinal detectável.

O pTD da Bruker usa um procedimento ELISA em sanduíche para a detecção das toxinas. Os anticorpos imobilizados em eletrodos de ouro atados a uma haste (chipstick) de toxina para facilitar a captura especifica das toxinas correspondentes da amostra do líquido aplicado. A detecção das toxinas cativas é feita através da medição da corrente elétrica de uma reação redox enzimática. A corrente correlaciona-se com a quantidade de objetivos ligados aos anticorpos específicos. Paralelamente 5 toxinas podem ser detectadas de forma rápida.